O que é o Guia Pesca de Praia Fórum Desafios GPP Loja Virtual Comunidade no Orkut Rádio GPP Entre em contato Home Fórum
A pesca de praia vem conquistando cada vez mais adeptos nos últimos anos, não só pela facilidade em se adquirir um conjunto adequado de equipamentos com baixo custo, mas também por ter a possibilidade de levar a família, tornando um programa de lazer completo e saudável para todos.

Para iniciar o pescador tem que formar uma estrutura de materiais que serão necessários na beira da praia em todas as suas pescarias.

Conjunto vara e molinete:
A montagem desse item é muito importante, o pescador deve configurar um conjunto balanceado que seja adequado para o tipo de pescaria que pretende fazer. Em alguns casos por falta de informação ou compra de material inadequado pode levar o pescador iniciante a desistir da prática da modalidade, portanto informe-se antes de suas aquisições.
Podemos optar por varas de 2,70m a 4,50m, casting de 60g a 300g fabricadas em grafite ou carbono, telescópicas ou particionadas e dos mais variados fabricantes.
Varas mais leves “lights” de 2,70m a 3,30m com casting entre 60g e 90g com molinetes também pequenos são indicados para curtos arremessos buscando os pequenos peixes de beira.
Varas maiores “médias e pesadas” de 3,90m a 4,50m, casting de 90g a 300g formando conjunto com molinetes maiores, são indicados para médios e longos arremessos, buscando peixes que estão mais distantes da beira da praia.
Casting – Essa é uma informação muito importante que o pescador deve observar e seguir a risca!
Ela informa qual é o peso “total” que o caniço suporta de arremesso.
Imaginemos que o casting de uma vara informa 180g, baseando-se nessa informação trabalhamos sempre com uma margem de segurança de -20%, então se usarmos um chumbo de 100g mais o peso dos anzóis e iscas totalizando 140g, estaremos dentro da margem de segurança para o uso correto do equipamento.
A não observação desse item pode danificar seriamente o caniço como quebras ou trincas, frustrando e interrompendo uma pescaria.





Dica:
A minha dica de aquisição para um iniciante é de uma vara telescópica de 3,90m, produzida em carbono, sendo mais leve e resistente com casting de 90g a 200g (15 a 25lbs). Encontrada nas lojas de pesca a partir de R$110,00.
Formando conjunto com um molinete médio de três rolamentos, fricção dianteira, manivela ambidestra, dois carretéis sendo um de reserva, um de metal outro de grafite, ambos projetados para médios e longos arremessos. Encontramos esse item na faixa de R$50,00.

Linha no molinete:
Na praia geralmente utilizamos bitolas de linhas de 0,14mm até 0,35mm, quanto mais fina for a linha, melhor será o arremesso, teremos menos atrito entre a linha e os passadores, conseguindo assim lançar a uma maior distância e a fixação dentro d’água, fazendo com que o movimento das ondas não arraste com facilidade a linha.
Então para este tipo de molinete colocamos uma base(fundo) de linha 0,35mm cerca de 100 a 200m e completamos com uma linha 0,21mm com aproximadamente 250 e 300m.
Finalizando colocamos um leader (arranque) de 8m que seria o dobro do tamanho do caniço (3,90m) com linha 0,35mm de ótima qualidade se tratando de resistência.

Dica:
Nas lojas encontramos uma bitola de linha mono filamento de 0,21mm com resistência de 10.36lbs(4,70kg), carretéis com 100m pelo custo de R$2,70 cada carretel, uma ótima opção custo-benefício.

Esperas e secretárias(os):
Outros dois itens tão importantes quanto à vara e o molinete são as esperas(calões), canos de PVC ou alumínio que serão o suporte de espera para o pescador colocar o caniço, descartando segura-lo durante toda a pescaria e as secretárias(os) são caixas plásticas ou de madeira, até mesmo uma bandeja para comportar os pequenos apetrechos como alicates, elastricot, chumbos e também pequenas quantidades de iscas.
Além de poupar o pescador de segurar o caniço durante toda a pescaria, mantém o caniço no alto longe da areia e de um possível banho de água salgada, preservando a vida do equipamento.

Dica:
Encontramos esse conjunto (espera + bandeja) por R$25,00 nas lojas ou podemos confeccionar manualmente usando PVC e uma caixa de madeira revestida de fórmica.







Caixa de pesca:
Para equipar uma caixa de pesca para a praia o pescador não pode deixar de comprar alguns itens básicos más de grande importância para completar todos os itens anteriormente citados.




Chicotes:
Normalmente com 0,80cm de comprimento, dois rotores para se prender as pernadas com distância de 0,60cm entre si, girador e snap na parte de baixo para prender o chumbo e girador em cima para amarrar o leader(arranque).

Chumbos:
Temos uma variedade de modelos, tamanhos e pesos, cada um com uma finalidade, mas alguns tipos são titulares como os modelos pirâmide, carambola e beachbomb por exemplo.

Linhas:
Alguns carretéis de linha com bitolas entre 0,35mm e 0,45mm para a confecção de chicotes, leaders de pernadas.

Anzóis:
Também encontramos uma variedade de marcas, modelos e tamanhos, porém na atualidade um dos mais usados é o modelo Maruseigo do nº08 ao nº14. Tinu, Hansure, Sode e Massu também são muito utilizados.

Tesoura e faca:
Para preparar as iscas, fazer os filezinhos e cortar com precisão os pedaços.

Trin:
Muito útil na montagem do equipamento, amarração dos chicotes, linhas e pernadas, após cada nó ele é indispensável!

Saca anzóis:
Alguns peixes engolem toda a isca, levando o anzol bem para o dentro, esse item auxilia a retirada do anzol com segurança sem agredir o peixe.

Elastricot:
Também de extrema importância é uma linha elástica que fixa as iscas nos anzóis, fazendo com que as mesmas não se soltem quando efetuado o arremesso.




Assim formamos uma estrutura importante de materiais para iniciarmos a nossa pescaria de praia, posteriormente poderemos complementar essa estrutura com vários outros itens, mas assim já começamos bem!

Super Dicas:
O que também não pode faltar na tralha do pescador é a licença de pesca do IBAMA, protetor solar, chapéu, óculos de sol e capa de chuva.


Autor: Marcelo Rubio Esteves
Matéria: Coluna da Revista Pesca Esportiva, Edição Nº 120/Agosto de 2007.


HOME | TOPO